segunda-feira, 31 de maio de 2010

31 de maio é o dia de combate ao Tabagismo.




Anualmente, milhões de pessoas morrem em consequência das doenças provocadas pelo tabaco. Para a Organização Mundial da Saúde, o tabagismo deve ser considerado uma pandemia.

Alguns dados sobre o cigarro:
- fumantes vivem menos que não fumantes (13 a 15 anos em média);
- o cigarro contém mais de 4000 substâncias químicas, muitas cancerígenas. O risco de câncer de pulmão é 20 vezes maior entre os fumantes. A chance diminui com a cessação do tabagismo;
- vários outros tumores estão associados ao hábito de fumar, como de esôfago, laringe, boca, bexiga, rim, pâncreas, estômago, mama e intestino;
- fumar aumenta significativamente o risco de enfisema pulmonar, derrame cerebral, doenças cardíacas (hipertensão, infarto, insuficiência cardíaca), varizes, trombose venosa e embolia pulmonar, impotência sexual, problemas na gravidez e dano fetal, úlcera péptica, problemas dentários, mau hálito, e envelhecimento precoce da pele (fumantes apresentam ser cinco anos mais velhos que sua idade real);


A pesar dos reconhecidos prejuízos ao organismo, as pessoas começam a fumar cada vez mais cedo, e tantas outras tem dificuldade, ou simplesmente não querem cessar o tabagismo. No entanto, parar de fumar não é apenas um teste de força de vontade: requer, entre outros, entendimento, planejamento e apoio. Portanto, procure ajude e tenha uma melhor qualidade de vida!.

Fonte: Dr. Marcelo F. Tiburi. Jornal da Saúde. 1º edição.

Receitas de Shakes para o combate da celulite:




Conforme prometido no post passado, hoje vou passar para vocês 3 receitas de Shakes que auxiliam no combate a celulite, atuando de forma a promover a desintoxicação do organismo.








Shake 1
- 1/2 beterraba cozida;
- 1 col sopa de salsinha;
- 1 col sopa de couve
-1/2 maçã
- 150 ml de água
- Bata tudo no liquidificador e tome pela manhã.
Este shake é diurético, auxilia a circulação sanguínea e tem apenas 45 kcal.

Shake 2
- 1 copo (200 ml) de suco de laranja;
- 4 folhas de couve manteiga;
- 1/2 cenoura média crua;
- 1/4 de mamão papaya;
- 1/4 de maçã;
- adoçante
- Descasque as laranjas (deixe a parte branca). Bata no liquidificador as laranjas, a couve, a cenoura, o mamão e a maçã.
Valor calórico: 135 kcal.

Shake de melancia:
- 1 fatia grossa de melancia com as sementes;
- 1 col sopa de leite em pó desnatado;
- 100 ml de iogurte natural desnatado;
- 1 gelatina de framboesa diet/ light pronta
- gelo a gosto
- Bata todos os ingredientes no liquidificador. Tome em seguida
Valor calórico: 65 kcal.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Celulite


















Celulite!! Esta palavra causa pânico na maioria das mulheres e sim! Em alguns homens também, pois mesmo estando menos propensos ao desenvolvimento dessa desordem estética, homens também podem desenvolver celulite.

Mas se a palavra CELULITE já assusta, imagina o seu nome científico, que é Hidrolipodistrofia ginóide! Parece ainda pior, não?

E mais uma notícia não muito agradável: a celulite pode acometer qualquer parte do corpo, exceto as palmas das mãos e dos pés e o couro cabeludo. São atingidas com maior frequência a parte superior das coxas, interna e externamente, a porção interna dos joelhos, região abdominal, região glútea e porção superior dos braços.

Na maioria dos casos, a celulite resulta de um problema circulatório: a circulação se processa mais lentamente devido ao sedentarismo, fumo, obesidade e outros fatores. Assim, os capilares sanguíneos se enfraquecem, ficando mais permeáveis, propiciando o extravasamento do plasma para o exterior dos vasos sanguíneos e consequentemente levando ao aumento do líquido nos espaços entre as células. O organismo então reage criando uma barreira fibrosa, que engloba este líquido extravasado junto com as células adiposas, desenvolvendo a celulite.

São vários os fatores que propiciam o aparecimento da celulite, entre eles: fatores genéticos desequilíbrio hormonal, sedentarismo, fumo, excesso de peso, constipação intestinal.

Do ponto de vista Nutricional, a alimentação consumida pela maioria da população brasileira, e boa parte da população mundial, caracterizada por mais alimentos industrializados, semiprocessados ou prontos para o consumo, com alimentos ricos em carboidratos simples (açúcar, produtos refinados, doces), lipídeos e proteínas de origem animal, sal e poucos alimentos in natura, como frutas e hortaliças, está intimamente relacionada aos fatores que aumentam a celulite.

A Nutrição, aliada aos tratamentos estéticos, tem um papel muito importante no manejo clínico da celulite, pois para cada fator predisponente no desenvolvimento da celulite, há um tipo de alimentação específica, a fim de melhorar o aspecto da pele. Através da alimentação correta é possível:
- diminuir o efeito tóxico da constipação na celulite;
- reduzir o acúmulo de gordura;
- atenuar a permeabilidade dos capilares sanguíneos;
- auxiliar no restabelecimento do desequilíbrio hormonal.


Fica ligado (a) no blog, pois na próxima semana darei dicas de alimentação para o combate da celulite.

FONTE: SCHNEIDER, Aline P.; PESSOA, Juliana S.M. Lipodistrofia ginóide (celulite). In: SCHNEIDER Aline P. Nutrição Estética. São Paulo: Atheneu, 2009.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Segurança Alimentar e Nutricional da Seleção Brasileira é prioridade na África

























Enquanto inúmeras pessoas adultas lutam contra a balança e sofrem para consumir diariamente uma dieta de baixas calorias, os jogadores da Seleção Brasileira de Futebol ingerem em média de 3.500 kcal a 4.300 kcal/dia. Essa necessidade energética é acompanhada de perto pela Nutricionista Sílvia Ferreira (CRN -4/ 3.103), que está com o grupo há 9 anos.

A disciplina dos jogadores da Seleção Brasileira é um fator que tem permitido uma atuação tranquila da Nutricionista para garantir a segurança alimentar e nutricional do grupo. Com a experiência de quem já elaborou os cardápios das Copas da Coréia (2002) e da Alemanha (2006), Sílvia credita a boa adaptação e o bom comportamento dos atletas ao fato de muitos atuarem em times Europeus.

Para agradar a equipe de jogadores, o trabalho é intenso. Antes mesmo da comissão técnica e atletas chegarem ao local da competição o cozinheiro brasileiro, da equipe de cozinha da Granja Comary, se antecipa para preparar os cardápios elaborados pela nutricionista. O cardápio dos atletas é composto por ingredientes bem brasileiros, como feijão preto, farinha de mesa, goiabada cascão e carne seca. Sem exageros e esporadicamente, a pizza é servida num lanche e o sorvete de sobremesa.

Em Copas anteriores, a pré -temporada de treinamentos acontecia em Teresópolis, na Granja Comary, e nessa ocasião, a Nutricionista Sílvia acompanhava as avaliações físicas, principalmente quanto ao percentual de gordura. “O tempo era muito curto, tanto para perda de peso quanto para o aumento da massa magra (músculo), mas mesmo assim, os resultados sempre foram muito positivos" diz Sílvia. Este ano a preparação acontecerá fora do Rio de Janeiro.

Na Granja Comary os atletas fazem quatro refeições por dia (café da manhã, almoço, jantar e lanche) e quando o treino acontece pela manhã ou a tarde são servidos para eles, no vestiário, frutas diversas, sucos de frutas, café e chocolate.

Fonte: Reprodução Parcial da Revista do Conselho Federal de Nutricionistas nº30 -2010, pág. 7

Boa Sorte para a Seleção Brasileira!! Que venha o hexa!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Diabetes Gestacional










Diabetes Mellitus Gestacional (DMG) é a intolerância aos carboidratos diagnosticada pela primeira vez durante a gestação, e que pode ou não persistir após o parto.

O Diabetes Mellitus Gestacional ocorre de 1 a 14% das gestações e está associado a aumento da morbidade e mortalidade perinatal.

Fatores de risco para o desenvolvimento de DMG:
- idade superior a 25 anos;
- obesidade ou ganho excessivo de peso durante a gravidez atual;
- deposição central excessiva de gordura corporal;
- história familiar de diabetes em parentes de primeiro grau;
- baixa estatura (menor que 1,50 m);
- crescimento excessivo do feto, hipertensão ou pré- eclâmpsia na gravidez atual;
- aborto espontâneo;
- filhos anteriores com peso de nascimento igual ou maior que 4 kg ou com malformação congênita.

O rastreamento do DMG é feito através do exame sanguíneo de glicemia de jejum. As gestantes que apresentam glicemia de jejum alterada realizam o teste de tolerância à glicose, para confirmação do diagnóstico.

O tratamento nutricional consiste em adequar as quantidades de calorias ingeridas (para que haja um adequado ganho de peso e excelente desenvolvimento do feto) e adequação da quantidade de carboidratos ingeridos, com redução no consumo de carboidratos simples, como açúcar, doces e achocolatados. Adoçantes artificiais (aspartame, sacarina, etc) podem ser usados com moderação. Além disso, os horários das refeições devem ser respeitados, não devendo a grávida ficar mais de três horas sem se alimentar.

O DMG não é indicação para cesariana, sendo a via do parto uma decisão obstétrica.

Se após duas semanas de dieta os níveis de glicêmia permanecerem elevados é recomendado início do tratamento com insulina.

Pacientes com Diabetes Gestacional devem ter seu nível de glicose sanguíneo reavaliado 4 a 6 semanas após o parto e reclassificadas quanto ao nível de glicose sanguínea. Na maioria dos casos, há reversão do quadro de Diabetes, porém, existe um risco de 17 a 63% de desenvolvimento de Diabetes tipo II dentro de 5 a 16 anos após o parto.

Grávidas com diabetes que não controlam sua alimentação durante a gestação, podem gerar bebês com peso maior do que o recomendado para a idade, o que no futuro, pode contribuir para que esta criança se torne obesa. Além disso, a hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue) diminuí a quantidade de hemoglobina disponível para o feto, podendo o bebê nascer com níveis menores de ferro no fígado, coração e cérebro.

Realizar o pré -natal é a melhor maneira de garantir a saúde tanto da Mãe quanto do bebê.


Fontes: Diretriz Brasileira de Diabetes - Sociedade Brasileira de Diabetes, 2006.

VITOLO, Márcia R. Estratégias de Intervenção Nutricional. In: VITOLO, Márcia R. 1º ed. Rio de Janeiro: Reichamann & Affonso Editores,2003.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

O Café Nosso de Cada Dia

O post de hoje é uma sugestão do leitor Robson. Se você tem alguma dúvida sobre Nutrição ou quer saber mais sobre algum assunto, é só deixar nos comentários. Todas as sugestões são sempre bem vindas!





















O café é uma bebida produzida a partir dos grãos torrados do fruto do cafeeiro. É servido tradicionalmente quente, mas também pode ser consumido gelado. O café é um estimulante, por possuir cafeína — geralmente 80 a 140 mg para cada 200 mL dependendo do método de preparação.

Benefícios do café

O consumo diário e moderado de café (até 3 xícaras por dia) confere alguns benefícios para a saúde, como:
- torna o cérebro mais atento, estimula a memória, atenção e concentração, melhora a atividade intelectual e se consumido por crianças ou jovens, pode ajudar no aprendizado escolar;

- previne o mal de Parkinson e a depressão (por aumentar a influência da dopamina, que é um neurotransmissor);

- o café contém vitamina B, lipídios, aminoácidos, açúcares e uma grande variedade de minerais, como potássio e cálcio, além da cafeína;

- há também em sua composição substâncias anticancerígenas, como os polifenóis antioxidantes e o cafestol, capazes de prevenir os cânceres de cólon e de próstata.

- para os atletas, mais benefícios: o consumo diário de café auxilia na produção de endorfinas e encefalinas, melhorando a performance.

Indivíduos com gastrite e/ ou úlcera não devem consumir café, pois a bebida estimula a mucosa gástrica, causando irritação e por consequência dor.

Indivíduos com osteoporose, especialmente mulheres, devem consumir o café longe do leite e derivados. A cafeína diminui a absorção do cálcio, mineral de extrema importância para a formação e manutenção dos ossos.

E uma ótima notícia: o café quase não tem calorias! Mas atenção!! É preciso ter muito cuidado com a quantidade de açúcar que você utiliza para adoçar o café. Cada colher de chá de açúcar tem em torno de 16 cal, que somadas ao longo do dia podem resultar num número excessivo de calorias, podendo aumentar o seu peso.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Alergia a Proteína do Leite de Vaca
























A alergia a proteína do leite de vaca (APLV) ocorre geralmente em crianças, sendo mais comum entre 0 e 2 anos de idade. Os sintomas costumam aparecer quando a criança começa a receber o leite de vaca, mas podem se manifestar enquanto a criança recebe o leite materno, através da ingestão do leite de vaca pela mãe.

A alergia a proteína do leite de vaca costuma acometer de 0,3 a 10% das crianças entre 0 e 2 anos.

A alergia alimentar envolve o sistema imunológico. Ocorre quando uma substância que por si só não causaria nenhum efeito adverso provoca uma reação imune no indivíduo.

Os sintomas da APLV podem ser vômitos, cólicas, diarréias, erupção cutânea, prisão de ventre, urticária (placas avermelhadas na pele), chiado no peito, coriza, coceira no nariz e olhos. Como esses sintomas são comuns a várias doenças, pode ser que o pediatra tenha dificuldade em estabelecer o diagnóstico rapidamente e quanto mais demora o diagnóstico, mais prejudicial é para a criança. A alergia ao leite de vaca pode levar ao baixo ganho de peso, de altura e desnutrição, que por sua vez pode prejudicar o desenvolvimento neuromotor.

O tratamento para a APLV consiste em retirar o leite de vaca da dieta da criança. Quando a criança esta sendo amamentada no peito, o leite de vaca deve ser excluído da dieta materna.

Para as crianças, o leite de vaca deve ser substituído por fórmula de soja e se necessário, por fórmula com hidrolisado da proteína do leite de vaca ou de soja.

Geralmente, a criança com APLV, torna-se tolerante ao leite até os 2 anos de idade, desde que, durante este período, ela não seja exposta a este alimento.

Para mais informações, visite o site:
http://www.alergiaaoleitedevaca.com.br/

terça-feira, 4 de maio de 2010

Suplementos Alimentares

Terça -feira passada (27/04/10) a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberou o uso - para atletas-de creatina e cafeína. Além da liberação desses dois produtos, a ANVISA passou a considerar barras de proteínas, repositores energéticos e outros suplementos apenas como alimentos para atletas.

Com esta mudança, este tipo de produto terá seu rótulo alterado, onde estará presente a seguinte frase: "Esse produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico".

As empresas terão 18 meses para se adaptar á nova regulamentação. A nova classificação pretende evitar o consumo desnecessário deste tipo de produto, visto que, para quem pratica atividade física três vezes por semana, uma alimentação balanceada e equilibrada é o suficiente.

Tanto a creatina como a cafeína estavam registradas na ANVISA apenas para uso em medicamentos, sendo a sua venda proibida.A inclusão foi feita depois de um apelo de fabricantes e da apresentação de estudos que comprovam a segurança e a eficácia dos produtos. A cafeína ajuda a retardar a sensação de fadiga muscular. A creatina é considerada como fonte extra de energia, que facilita a contração e a rápida recuperação de músculos.

No entanto, fica o alerta de que esses produtos só devem ser usados com orientação do nutricionista ou médico. Em excesso, eles podem causar problemas à saúde, como problemas renais, no fígado e até aumento de peso.

Fonte: ANVISA